As melhores variedades de canábis para tratar a PHDA

560
SHARES
Tempo de leitura 7 minutos
Um quarto de hospital onde jaz um paciente e na mesinha, alguns brotos de maconha bem como um pôster ao fundo com as letras TDAH sobre uma folha de cannabis
Um quarto de hospital onde jaz um paciente e na mesinha, alguns brotos de maconha bem como um pôster ao fundo com as letras TDAH sobre uma folha de cannabis

 

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) afeta pessoas de todas as idades com sintomas que podem dificultar a concentração e o gerenciamento do comportamento. Na busca por alternativas para gerenciar esses sintomas, certas variedades de cannabis têm surgido como opções promissoras. Este artigo explora sete cepas que receberam atenção por seu potencial para ajudar quem sofre de TDAH, mergulhando no coração verde da natureza para entender como podem contribuir para melhorar a qualidade de vida dos afetados. É importante salientar que, embora alguns usuários de cannabis relatem alívio dos sintomas do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) pelo uso de certas cepas, a eficácia da cannabis para o tratamento desta condição não foi conclusivamente demonstrada pela ciência médica e sua legalidade varia de acordo com a região. Além disso, sempre se deve consultar um profissional de saúde antes de usar cannabis para tratar o TDAH ou qualquer outra condição médica, seja hiperatividade ou na hora de tratar a ansiedade com maconha como você pode ver neste outro artigo.

 

 

👌 Melhores variedades de cannabis para tratar TDAH

 

 

Tangie:

A variedade Tangie é conhecida pelo seu aroma cítrico e efeito estimulante que pode ajudar a melhorar a concentração em usuários com TDAH. Seu perfil de terpenos, rico em limoneno, pode proporcionar propriedades energizantes que poderiam ser benéficas para quem busca um impulso de clareza mental durante o dia. O efeito entourage aumenta suas propriedades medicinais em grande medida.

 

Blue Dream:

Blue Dream é uma cepa híbrida que combina efeitos relaxantes com uma euforia suave e sustentada. Para pessoas com TDAH, isso pode se traduzir em uma maior facilidade para manter a atenção em tarefas específicas, sem o risco de hiperatividade ou ansiedade que algumas cepas mais potentes poderiam provocar. O equilíbrio entre sativa e índica é perfeito para tratar esta doença.

 

Jamaican Lambsbread:

Esta cepa sativa originária da Jamaica é famosa pela sua capacidade de elevar o ânimo e aumentar a energia. Usuários relataram que Jamaican Lambsbread pode ajudar a combater a fadiga e a falta de motivação, sintomas comuns do TDAH, favorecendo um estado mais focado e ativo. Esta cepa é apropriada para doentes de TDAH que não tenham muita hiperatividade.

 

Harlequin:

Harlequin se destaca pelo seu alto conteúdo de CBD e uma proporção equilibrada de THC, o que a torna uma opção popular para aqueles que buscam os benefícios terapêuticos da cannabis sem uma intensa psicoatividade. O CBD tem sido objeto de estudo por seus potenciais efeitos sobre a ansiedade e outros sintomas que podem acompanhar o TDAH.

 

Durban Poison:

Esta potente sativa é valorizada pelo seu efeito estimulante que pode melhorar a clareza mental e a concentração. Durban Poison tem um perfil de terpenos que pode favorecer a alerta e o foco, qualidades que podem ser particularmente úteis para as pessoas com TDAH que requerem um impulso para realizar suas tarefas diárias.

 

Amnesia Haze:

Esta cepa sativa premiada é conhecida por seus efeitos eufóricos e energizantes. Amnesia Haze pode ser útil para pessoas com TDAH que buscam uma maior clareza mental e uma energia sustentada para enfrentar desafios complexos durante o dia. Assim como a Jamaican Lambsbread pode ser melhor para as pessoas que precisam melhorar sua atenção mais do que tratar a hiperatividade.

 

Northern Lights:

Embora seja principalmente índica e conhecida por seus efeitos relaxantes, a cepa Northern Lights pode ser útil para usuários de TDAH que experimentam hiperatividade ou insônia. Seu efeito calmante pode ajudar a relaxar a mente e facilitar um estado mais concentrado e menos disperso. Ao não provocar efeitos estimulantes é perfeita para relaxar o corpo e a mente.

É importante ter em conta que as experiências individuais com as cepas de cannabis podem variar. Algumas pessoas podem achar uma cepa em particular benéfica para os sintomas do TDAH, enquanto outras podem experimentar efeitos diferentes. Aconselha-se a consulta com um médico ou especialista antes de iniciar qualquer tratamento à base de cannabis para o TDAH.

 

 

👾 Quais variedades de maconha são melhores para doentes de TDAH, as índicas ou as sativas?

 

Ao considerar quais subespécies de cannabis são melhores para tratar os sintomas do TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade), é importante entender que para a hiperatividade podem ser melhores as índicas mas para o déficit de atenção podem ser melhores as sativas, portanto é necessário saber as diferenças gerais entre as sativas, as índicas e os híbridos:

 

  • Sativas: Geralmente, as cepas sativas são conhecidas pelo seu efeito estimulante e energizante. Podem ajudar a melhorar a concentração e fomentar a criatividade, o que pode ser benéfico para pessoas com TDAH que experimentam sintomas de desatenção. No entanto, em alguns casos, as sativas podem aumentar a ansiedade ou a hiperatividade em pessoas sensíveis a esses efeitos.
  • Indicas: As cepas índicas, por outro lado, tendem a ter efeitos mais relaxantes e sedativos. Estas poderiam ser úteis para indivíduos com TDAH que lutam com a hiperatividade e a impulsividade, já que podem ajudar a acalmar a mente e reduzir a inquietude física. No entanto, as índicas também podem levar a uma maior sensação de sonolência, o que poderia não ser ideal para algumas pessoas durante o dia.
  • Híbridos: Os híbridos, que são cruzamentos entre sativas e índicas, podem oferecer um equilíbrio entre os efeitos estimulantes e relaxantes. Estas cepas podem ser particularmente úteis para tratar o TDAH, já que podem proporcionar um equilíbrio entre a melhoria do foco e a redução da hiperatividade ou ansiedade.

 

A escolha da subespécie mais adequada dependerá dos sintomas individuais do TDAH e de como cada pessoa reage ao cannabis. É importante experimentar com cuidado e possivelmente sob a supervisão de um profissional de saúde para determinar qual cepa e que tipo de cannabis (sativa, índica ou híbrido) funciona melhor em cada caso específico. Além disso, a escolha pode ser influenciada pela proporção de THC e CBD em cada cepa, assim como pelo perfil de terpenos, já que estes fatores também afetam os efeitos do cannabis. Por exemplo, uma cepa com um alto conteúdo de CBD poderia ser mais adequada para alguém que busca os benefícios terapêuticos do cannabis sem um forte efeito psicoativo.

 

 

 
Download completely free the marijuana dictionary
Free Download Cannabis Dictionary 2023 Edition
Insert a correct email address
You must accept the privacy policy
SITE OF SHOPS ONLINE S.R.L with CIF: B98262777 and address for notifications in C/ VEREDA MAS DE TOUS Nº 22 LOCAL C, 46185 LA POBLA DE VALLBONA, VALENCIA, Phone: 961658271 Email: customer(at)pevgrow.com
At the name of Consulting we process the information you give us in order to provide the requested service, perform the billing of the same. The data provided will be kept as long as the business relationship is maintained or for the years necessary to comply with legal obligations. The data will not be transferred to third parties except in cases where there is a legal obligation. You have the right to obtain confirmation as to whether SITE OF SHOPS ONLINE S.R.L. is processing your personal data and therefore you have the right to access your personal data, rectify inaccurate data or request its removal when the data is no longer necessary
 

🧐 O que a ciência diz sobre a relação entre a maconha e o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade?

 

As pesquisas sobre o uso de cannabis para tratar o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) ainda estão em desenvolvimento, e os resultados são mistos. Alguns estudos exploraram a eficácia e a segurança do cannabis em adultos com TDAH, enquanto outros observaram como os pacientes com TDAH podem se automedicar com cannabis.

Um estudo piloto, o EMA-C (Experimental Medicine in ADHD-Cannabinoids), investigou o uso de um medicamento canabinoide, Sativex Oromucosal Spray, em 30 adultos com TDAH. Embora não tenham sido encontradas diferenças significativas para o resultado principal, que era o desempenho cognitivo e o nível de atividade, houve melhorias nominais na hiperatividade/impulsividade e uma medida cognitiva da inibição, além de uma tendência para a melhoria na atenção e na labilidade emocional. No entanto, os resultados não alcançaram significância estatística após o ajuste por múltiplos testes, e são recomendados ensaios clínicos para confirmar a eficácia do cannabis no tratamento do TDAH.

Outro relatório de caso descreveu três homens (de 18, 22 e 23 anos) que integraram o cannabis em seu regime de tratamento para o TDAH com resultados positivos. As entrevistas semiestruturadas com os pacientes descreveram melhorias subjetivas nos sintomas e na qualidade de vida. As melhorias nas escalas de avaliação validadas após o início do cannabis, comparadas com as obtidas antes do início do cannabis, corroboraram seus relatos pessoais.

A pesquisa científica sobre o cannabis como tratamento para o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) ainda é limitada e os resultados são mistos. No entanto, algumas teorias e estudos preliminares sugerem que poderia haver um potencial terapêutico devido à forma como os canabinoides interagem com o sistema endocanabinoide do corpo, o qual desempenha um papel na regulação da atenção, do comportamento e das emoções.

O sistema endocanabinoide inclui uma rede de receptores CB1 e CB2 que se encontram no cérebro e em todo o corpo. Os canabinoides como o THC e o CBD podem se ligar a esses receptores e modular sua atividade. No caso do TDAH, tem sido sugerido que as seguintes propriedades do cannabis poderiam ser benéficas:

 

  • Regulação da Dopamina: O TDAH tem sido associado com disfunções no sistema dopaminérgico do cérebro, que é crucial para a regulação da atenção e do comportamento. O THC mostrou em estudos pré-clínicos aumentar a liberação de dopamina, o que poderia teoricamente ajudar a aliviar alguns sintomas do TDAH.
  • Efeitos sobre a Ansiedade: Muitos indivíduos com TDAH experimentam níveis elevados de ansiedade. O CBD é conhecido por suas propriedades ansiolíticas e poderia contribuir para um estado mais calmo, o que por sua vez poderia melhorar a concentração e o foco.
  • Melhoria do Sono: Os distúrbios do sono são comuns em pessoas com TDAH e podem exacerbar os sintomas. Certas cepas de cannabis são conhecidas por seus efeitos sedativos e poderiam ajudar a regular os padrões de sono.
  • Redução da Hiperatividade: Alguns estudos sugerem que o cannabis pode ter efeitos sobre a hiperatividade e a impulsividade, possivelmente através da modulação da atividade neuronal em áreas do cérebro associadas com a inibição do comportamento.

 

É crucial mencionar que, embora haja anedotas e estudos preliminares que sugerem benefícios do cannabis para o TDAH, a evidência científica não é conclusiva. Além disso, o cannabis pode ter efeitos colaterais e não está isento de riscos, especialmente no cérebro em desenvolvimento de crianças e adolescentes. Portanto, sempre se deve consultar um médico antes de considerar o cannabis como tratamento para o TDAH ou qualquer outro transtorno. Lembre-se que as índicas podem ser melhores para reduzir os níveis de hiperatividade e energia.

 

 

🎯 Conclusões

O cannabis, em suas diferentes variedades, oferece um espectro de possibilidades que poderiam ser de ajuda no manejo do TDAH. No entanto, é vital enfatizar a importância de abordar este tratamento sob supervisão médica e considerar a evidência científica atual. Embora seja necessário mais pesquisa para compreender plenamente sua eficácia e segurança, os testemunhos e estudos preliminares sugerem que, para alguns usuários, o cannabis pode ser uma ferramenta valiosa em sua estratégia terapêutica global para o TDAH.

 

 

⚠️ FAQs:

 

Qual cepa de cannabis é melhor para a concentração em casos de TDAH?

A cepa Sativa, como a Durban Poison, é conhecida por seus efeitos estimulantes que podem ajudar a melhorar a concentração e a clareza mental.

 

O cannabis pode diminuir a hiperatividade associada com o TDAH?

Alguns usuários relatam que cepas Indica ou híbridas com efeitos relaxantes podem ajudar a reduzir a hiperatividade. No entanto, cada indivíduo pode reagir de maneira diferente.

 

O CBD é eficaz para tratar o TDAH?

O CBD mostrou em estudos preliminares potencial para acalmar a ansiedade e melhorar o sono, o que pode ser benéfico para pessoas com TDAH. Ainda assim, é necessário mais pesquisa.

 

É legal usar cannabis para tratar o TDAH?

A legalidade do uso de cannabis varia de acordo com a região e as condições médicas aprovadas para seu tratamento. Sempre é fundamental consultar a legislação local.

 

Quais precauções devem ser tomadas ao usar cannabis para o TDAH?

É crucial começar com doses baixas, monitorar os efeitos, e evitar seu uso em crianças e adolescentes, pois pode afetar o desenvolvimento cerebral. Além disso, sempre deve ser usado sob a orientação de um profissional de saúde.

 

Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]
Gostou do artigo? Compartilhe nas redes sociais!
Fran Quesada Moya
Fran Quesada Moya
Editor da Pevgrow, ativista e aficionado pelo cannabis em todos os seus campos, especialmente na criação e desenvolvimento de novas variedades.
Veja mais postagens
Participate in the discussion

Leave a Comment